De acordo com as Leis 12.965/2014 e 13.709/2018, que regulam o uso da Internet e o tratamento de dados pessoais no Brasil, ao me inscrever na newsletter do portal DICAS-L, autorizo o envio de notificações por e-mail ou outros meios e declaro estar ciente e concordar com seus Termos de Uso e Política de Privacidade.


Mais um absurdo - comentários

Colaboração: Fernando M. Roxo da Motta

Data de Publicação: 30 de Novembro de 2002

Um aspecto que *para mim* parece que deveria ser muito importante está a ser desprezado por estes sites com este comportamento : hoje o sistema de maior crescimento do mundo é o Linux.

Ora, um site que (aparentemente) se propõe a prestar serviço de oferta de curriculums para emprego até mesmo na área de tecnologia deveria ter em mente que um profissional bastante procurado hoje no mercado é justamente o profissional especializado em tecnologia Linux. Imaginar que estes profissionais estariam se limitando ao uso de uma tecnologia diferente da especialização deles é no mínimo infantilidade.

Tá, o IE é o dominante hoje em dia, segundo os dados apresentados. Há algum tempo as máquinas a vapor eram as dominantes, se o mercado tomasse como base este fato para *evitar* o contato com novas tecnologias nós estaríamos até hoje usando as mesmas máquinas a vapor, no entanto evoluimos para as máquinas de combustão interna e para máquinas elétricas. Não consigo imaginar as empresas que se restringiram somente ao uso de máquinas a vapor permanecendo no mercado.

Este comportamento mostra claramente que os serviços prestados pela empresa são determinados pelo atendimento das necessidades do "webdesigner" e não pelos objetivos de serviços propostos pela instituição. Certamente a idéia do verdadeiro administrador da empresa (o webdesigner) é de que as tecnologias emergentes não são absolutamente do interesse deles e por isto devem ser desprezadas. O que estamos vendo, nestes casos, é o foguista das máquinas a vapor decidindo o futuro das empresas, que elas devem de toda sorte evitar contato com as máquinas de combustão interna já que a tecnologia dominante, e portanto a única que interessa, são as máquinas a vapor.



Veja a relação completa dos artigos de Fernando M. Roxo da Motta