Acesso direto ao conteúdo
Visite também: Ipok ·  Segurança Linux ·  UnderLinux ·  VivaOLinux ·  LinuxSecurity ·  NoticiasLinux ·  BR-Linux ·  SoftwareLivre.org ·  [mais]   
 

 

A Microsoft morreu

Por Rafael Evangelista

Data de Publicação: 17 de Abril de 2007

O texto abaixo é de autoria de Paul Graham. Capturei o link para ele em uma lista de discussão e resolvi traduzi-lo porque, ao argumentar que a empresa de Redmond bateu as botas, Graham aponta a virtualização como uma das causas. Foi um tema que abordei aqui no final do ano passado, no texto A virtualização do desktop e a googlezação da web. Além disso, Graham também aponta o Google como maior e mais perigosa força nos dias atuais.

O texto foi escrito a partir da realidade dos Estados Unidos então algumas das características infra-estruturais que ele aponta, como a banda larga de fácil acesso, ainda não se aplicam à nossa realidade. Mas, mesmo assim, é um texto bem interessante


Alguns dias atrás me dei conta repentinamente de que a Microsoft está morta. Eu estava conversando com o fundador de uma jovem empresa sobre como o Google era diferente do Yahoo. Eu dizia a ele que o Yahoo foi impulsionado no início pelo medo que tinham da Microsoft. Foi por isso que se posicionaram como uma "empresa de mídia" em lugar de uma "empresa de tecnologia". Então olhei para ele e percebi que ele não entendeu. Foi como se eu tivesse dito a ele o quanto as garotas gostavam de Barry Manilow nos anos 80. Barry quem?

Microsoft? Ele não disse nada mas dava para dizer que ele não acreditava que alguém pudesse ter medo deles.

A Microsoft foi uma sombra sobre o mundo do software por quase 20 anos, a partir do início dos anos 80. Eu me lembro que antes deles era a IBM. Eu quase sempre ignorei essa sombra. Nunca usei software da Microsoft, então isso só me afetou indiretamente - por exemplo, no spam que eu recebia de robôs na rede. E por eu não estar prestando atenção não percebi que a sombra desapareceu.

Mas agora desapareceu, consigo perceber isso. Ninguém mais tem medo da Microsoft. Eles ainda podem fazer um montão de dinheiro - assim como a IBM, a propósito. Mas eles não são mais perigosos.

Quando a Microsoft morreu e de quê? Eu sei que eles pareceram perigosos no final de 2001, pois escrevi um ensaio na época sobre como eles eram menos perigosos do que pareciam. Eu acho que eles morreram em 2005. Eu sei que quando iniciamos Y Combinator não nos preocupávamos com a Microsoft como competidora das empresas que fundamos. Na verdade, nós nunca os convidamos para os dias de demonstração que fazemos para que as empresas se apresentem a investidores. Nós convidamos Yahoo e Google e algumas outras empresas de Internet, mas nunca nos preocupamos em convidar a Microsoft. E eles também nunca nos mandaram sequer um email. Eles estão em um mundo diferente.

O que os matou? Quatro coisas, eu acho, todas elas aconteceram simultaneamente no meio desta década.

A mais óbvia é o Google. só pode haver um homem forte na cidade, e claramente são eles. Google é hoje, de longe, a companhia mais perigosa, tanto no bom quanto no mau sentido da palavra. A Microsoft pode, na melhor das hipóteses, acompanhar com atraso.

Quando Google tomou a liderança? Haverá uma tendência de apontar isso para o lançamento de suas ações, em agosto de 2004, mas eles estavam apenas confirmando os termos do debate então. Eu diria que eles tomaram a liderança em 2005. Gmail foi uma das coisas que os colocou além. Gmail mostrou que eles poderiam fazer mais do que apenas buscas.

Gmail também mostrou o quanto se poderia fazer com software baseado na web se você usa o que mais tarde ficou conhecido como "Ajax". E essa é a segunda causa da morte da Microsoft: todo mundo pode ver que o desktop está acabado. Agora parece inevitável que as aplicações viverão na web - não apenas os emails mas tudo, mesmo Photoshop. Até a Microsoft percebe isso agora.

Ironicamente, a Microsoft, sem querer, ajudou a criar o Ajax. O x de Ajax vem de XHTMLHttpRequest object, que permite que o navegador comunique-se com o servidor no background, enquanto mostra a página. XHTMLHttpRequest foi criado pela Microsoft no final dos anos 90 para ser usado no Outlook. O que eles não perceberam é que seria útil também para muita gente - na verdade, para qualquer um que quisesse fazer com que aplicações web funcionassem como desktop.

Outro componente crítico do Ajax é o Javascript, a linguagem de programação que roda no navegador. A Microsoft viu o perigo trazido pelo Javascript e tentou mantê-lo defeituoso por quanto tempo fosse possível [1]. Mas eventualmente o mundo do código aberto venceu, produzindo bibliotecas Javascript que cresceram sobre os defeitos do Explorer, assim como vegetação cresce sobre arame farpado.

A terceira causa de morte da Microsoft foi a Internet banda larga. Qualquer um que queira pode ter acesso à Internet rápida hoje. E quanto maior o cano até o servidor, menos você precisa do seu desktop.

O último prego no caixão veio, de todos os lugares possíveis, da Apple. Graças ao OS X a Apple ressurgiu dos mortos de um jeito muito raro em tecnologia [2]. Sua vitória é tão completa que agora me surpreendo quando vejo um computador rodando Windows. Quase todos que financiamos na Y Combinator usam laptop Apple. Acontece o mesmo com os alunos da escola de empresas incubadas. Todas as pessoas da computação usam Macs ou Linux hoje. Windows é para vovós, assim como os Macs o eram nos anos 90. Então, não só o desktop não importa mais como, de qualquer forma, ninguém mais que se importa com computadores usa Microsoft.

E, claro, a Apple está na frente da corrida com a Microsoft na música também, além dos celulares e TVs que virão.

Estou feliz por a Microsoft ter morrido. Eles eram como Nero ou Cômodo - malígnos de uma forma que apenas o poder herdado torna possível. Porque lembremos que o monopólio da Microsoft não começou com ela. Ela o recebeu da IBM. O negócio software esteve enforcado por um monopólio desde meados de 1950 até 2005. Praticamente por toda a sua existência foi assim. Uma das razões de a Web 2.0 ter esse ar eufórico é o sentimento, consciente ou não, de que a era monopolística acabou finalmente.

É claro, como um hacker, eu não consigo parar de pensar como uma coisa quebrada pode ser consertada. Há alguma forma de a Microsoft retornar? Em princípio, sim. Para ver como, vislumbremos duas coisas: (a) a quantidade de dinheiro que a Microsoft tem em suas mãos; e (b) Larry e Sergey cortejando, há 10 anos atrás, todos os mecanismos de busca, tentando vender a idéia do Google por um milhão de dólares. E sendo rejeitados por todos.

O fato surpreendente é: hackers brilhantes - perigosamente brilhantes - podem ser conseguidos muito baratos para os padrões de uma companhia tão rica quanto a Microsoft. Eles não conseguem mais contratar gente inteligente, mas eles podem comprar quantos quiserem por apenas um pouco mais. Então, se eles quiserem ser um competidor novamente, é assim que devem fazer:

  1. Comprar todas as empresas de Web 2.0 que estão surgindo. Eles podem conseguir todas por menos do que eles teriam que pagar pelo Facebook

  2. Colocar todas elas no Vale do Silício, rodeadas por chumbo, formando um escudo protetor para prevenir qualquer contato com Redmond

Sinto-me seguro em sugerir isso porque eles nunca vão fazê-lo. A maior fraqueza da Microsoft é que eles ainda não perceberam o quanto são ruins, incompetentes. Eles ainda acham que podem escrever código "in house". Talvez eles possam, pelo padrão do mundo do desktop. Mas esse mundo acabou há alguns anos atrás.

Eu sei qual será a reação para este ensaio. Metade dos leitores vai dizer que a Microsoft ainda é uma companhia enormemente rentável e que eu deveria ser mais cuidadoso ao traçar conclusões baseado no que alguns poucos pensam da pequena e insular bolha Web 2.0. A outra metade, a mais jovem, vai reclamar que isto é notícia velha.

Notas

[1]Não é preciso fazer um esforço consciente para produzir software incompatível. Tudo o que você precisa fazer é não trabalhar muito na correção dos bugs - que, se você é uma empresa grande, você produz copiosamente. É uma situação análoga a escrever "teoria literária". A maioria não quer ser obscuro, eles apenas não se esforçam em ser claros.

[2] Em parte porque Steve Jobs foi estimulado por John Sculley de um modo que é raro nas empresas de tecnologia. Se o board da Apple não tivesse cometido esse erro, não haveria retorno a ser feito.

 

 

Veja a relação completa dos artigos da coluna Zona de Combate

Formato PDF
Newsfeed RSS
Formato para impressão
PDF RSS Imprimir
  • Currently 2.79/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Avaliação: 2.8 /5 (133 votos)

Opinião dos Leitores

Leo
30 Dez 2010, 22:33
Só dá pra rir....

Futurologia em Tecnologia é algo muuito idiota, mais idiota ainda vindo de um cara "guru" como o autor do texto! (Prova: 2007 pra hoje..rss o que bateu!).

Enfim, hoje dá pra perceber que soou mais como dor de cotovelo do que como um texto que acrescente algo novo na brigas de TI!

Em toda a minha carreira, e já passam mais de 20 anos, percebi logo no início que defender "bandeiras" não trazia nada! Principalmente aqui no Brasil, aonde os profissionais de TI, não tem regulamentação (Ex.: Crea), sindicato etc etc.

Acho a "criação" da idéia do software livre algo genial, tanto quanto a Internet!

A realidade perceptível é que o consumidor quer algo simples: Ser Bem Atentido! É como médico, ninguém quer ficar doente; mas quando fica quer atendimento pra lá de excelente!

Aí que mora a encrenca nos dois lados da moeda, tanto do software livre, quanto no software pago (MS etc).

O consumidor não tem estes ítens respondidos hoje em dia: Quem dá suporte?! Qual a qualidade do suporte? Lei do SAC, se aplica? Código do Consumidor, logo emissão de NF como fica? Judicialmente quem responde?

Enfim... Isso que busco atender, o consumidor, não fico preso em filosofias esquerdistas e blábláblá... eu fico com meu cliente, devo respeito, como mereço respeito!

Espero ter dado alguma idéia do que é a realidade; buscar soluções que atendam o máximo dos ítens acima, independente de bandeira (Linux, MS, OpenSoft, PaySoft...)

Vamos tornar a classe de profissionais de TI algo tão respeitado como os profissionais de Saúde, para isso só começar usar mais a energia para evoluir conceitos e profissionalmente ao invés de usar energia para criticar!

Boa sorte a todos e Feliz 2.011!

Leo
Rodrigo
14 Jul 2009, 14:43
anonimo e você acha que hoje não estamos confiando nossos dados confidenciais a terceiros? O sistema operacional que usamos não é nosso, quem garante que quando conectados à internet o dono do sistema operacional não tem acesso as nossas informações?
Nós conhecemos o que vemos, mas e internamente, como fica.
anonimo
11 Jul 2009, 11:05
O desktop (ou laptop) não morrerá, afinal existem inúmeros casos em que são necessárias as aplicações de leitura e edição de midias (texto, música, vídeo...) e que estes aplicativos não podem estar fora da máquina pessoal ou da coorporação. Ainda que as coorporações passem a utilizar desktops virtualizados (seja a nível de aplicações ou sistemas operacionais) estas, na maioria das vezes, não podem confiar seus dados confidenciais a terceiros. Sabemos que tudo o que temos hoje no nosso gmail, yahoomail, msn, dentre outros, podem ser lido e pesquisado por estas empresas.
Rodrigo
08 Jul 2009, 14:40
Dificil aceitar mas essa é a realidade minha gente...
Hasta la vista MS.
Sem dó sem piedade!
Zeh
13 Mar 2009, 17:06
Rafael ... dentro da sua linha de raciocínio, comente por favor sobre o AZURE !

[]´s
Zeh
Gustavo
20 Nov 2007, 00:59
Sabem porque ela ainda é dona do pedaço?
A grande ameça nos desktops é a apple?
Em 3 meses não vende 1/10 do que vende a MS de licenças windows em 2 mês, basta comparar as vendas de Macs com as de licença windows.

O google?Bem, é muito mais fácil de ser derrotado, pois seu grande poder não é um produto tangível, é virtual, anúncio, declarações dessa semana da MS diz que pretende ser líder nesse setor em 5 anos, duvidam?

Quando lançaram o xbox, o primeiro, alguém aqui pensou que eles conseguiriam vender (xBox360) em 1 M~es mais de 500mil unidades, fora os milhões de jogos?A sony era líder, e hoje é o que?

O vista é ruim, não sei, mas se analisar o faturamento da MS, ela não vide só dele, outros produtos vendem muito ainda, Office, programas para servidores, etc, etc.

O que falta hoje a MS?Apenas um bom sistema de buscas e publicidade.

Como assim apenas?
Claro, o vista é ameaçado por quem? A MS nunca deixou de ter menos d e90% do mercado de SO, e nada demonstra que isso vá acontecer, não estou nos EUA, mas essa parte em que o autor diz, que cada vez é mais difícil ver um computdaor com windows, só pode ser piada, repito, a Apple vende em 3 meses, pouco mais de 2 milhões de pcs, a MS vende em 1 Mês 10 milhões de licensas Vista, quantas devem ser nos EUA????????? Concerteza no mínimo uns 3 milhões ao mês, o que seria mais de 3 vezes o número de computadores da Apple.

Sinceramente, a MS está muito bem, o Desktop mesmo nos EUA vai demorar a sumir, os sistemas offline vão continuar por anos ainda, e até lá, com os investimentos que eles fazem hoje em Voip, IpTV, Games, publicidade, não sei se precisaram tanto de vender windows!
cada uma...
11 Set 2007, 21:56
radical, desinformado fazendo pose de "eu sei de td... eu vejo td...". eh gente assim q acaba com a parte boa do software livre. idiota.
Leonardo Mosqueira
30 Mai 2007, 01:12
Muito interessante o tópico, Rafael. Pessoal, eu entendo pouco desse assunto, mas estou precisando de uma ajuda: Existe alguma empresa que utiliza o ambiente de desenvolvimento .NET? Podem me falar a respeito disso? Obrigado.
Rafael Evangelista
21 Mai 2007, 13:49
Gente, não leiam só o título, leiam o texto todo. A "morte" é uma metáfora, não quer dizer que a empresa faliu.
Rafael
21 Mai 2007, 13:46
Ô Helton, "ficar digitando milhares de linhas de códigos para simplesmente copiar um arquivo no linux"? Não é bem assim, né? Esse tempo, se é que existiu, já foi há muito tempo. Diz isso não porque é mentira, é FUD
Davi Vidal
16 Mai 2007, 16:51
Desculpe, Cristóvão... Acho que, antes de distribuir espécies de coices, você deveria estar ciente de quais patentes a Microsoft (MS, e não M$) está pleiteando.
Só depois de divulgada essa informação poderá haver qualquer manifestação pró ou contra Microsoft.
Por enquanto, nada é além de boato.
Cristóvão
16 Mai 2007, 15:17
É interessante, mas isso me faz me lembrar uma coisa ainda interessante, isso é igual a todos os outros monopólios, quando uma grande impresa monopolista está preste a cair e percebe que seus concorrentes estão crescendo ela começa a acusar, exigir direitos e a processar, contudo sem provas. É né a M$ também, isso está nas supostas patentes que ela diz ter no Linux... tudo igual, vê se pode?
Davi Vidal
04 Mai 2007, 17:52
Eu não quero transformar isso num debate sobre Ferramentas MS x Ferramentas OS, mas você expressou-se mal, denovo...

Concordo que é muito mais rápido desenvolver uma aplicação Web no Visual Studio .Net do que no, por exemplo, VIM, mas discordo que o VS.Net seja mais poderoso que o, por exemplo, VIM.

Analisando friamente, a diferença prima entre a suíte MS e o editor de textos, é que a MS se preocupou em colocar tudo que você precisa, facilmente acessível.
Mas você _pode_ desenvolver um site excelente tanto no VIM como no VS.Net. A diferença fica no custo... =]

O famoso TCO... XD
Por ora, acho que a Microsoft vai sobreviver enquanto tiver um TCO _bem_ menor que o Software Livre, no grande porte.
Vanio Ferreira
04 Mai 2007, 15:54
O que eu quis dizer é se você quiser desenvolver uma solução completa, flexível e acessível é muito mais fácil e produtivo se usar a plataforma DotNet.

Eu sou pelo Open Source, alias no meu portátil só roda Linux. Mas para desenvolver software sério e profissional, não existem ferramenta e API's tão poderosas e acessíveis no mundo Open Source como as da Microsoft.

Davi Vidal
04 Mai 2007, 13:00
Eu não classifico uma empresa como "séria" pelas tecnologias que ela usa, e sim pelas soluções que ela cria... ;-)

Minha empresa usa ferramentas open-source e é uma empresa séria...

Não generalize assim... =]

[]s
Vanio Ferreira
04 Mai 2007, 12:50
Acha que a Microsoft morreu?? Entao veja bem, os lucros no ultimo trimestre...

E o framework Dot NEt??

Toda a empresa de TI, que seja séria usa DotNet.

Whitewolf
02 Mai 2007, 23:18
Por mais que os defensores do Império da Micro$oft esperneiem, não tem jeito e nem volta, o software livre veio pra ficar.
A tendência é que a Micro$oft decaia cada vez mais. Talvez ela não acabe de vez, mais o modo como ela capta sua receita irá mudar drásticamente em alguns anos.
Cicero
02 Mai 2007, 18:46
Nem consegui acabar de ler...
Mesmo que essa "coisa" escrita fosse verdade, jamais cairia, a maior prova é a IBM que é conhecida como uma Imsensa Bola de M...Tá ai até hoje. Sinceramente esse artigo é no mínimo utópico.
Walyston Almeida Pinheiro
28 Abr 2007, 21:53
Muito bom o artigo , sempre pensei isso da MS ,mas porém sempre fui taxado
como extremista e as vezes até arrogante,
Mas que me desculpem por favor , mas o linux me libertou e já faz muito Muito!!!
Tempo. E sou muito grato por isso.
A GPL foi para informática o que Deus representa para os religiosos ....
Tiago
25 Abr 2007, 12:51
Muy Bueno.
Wilker Azevedo
19 Abr 2007, 20:06
Falou bonito o Jayr Magave, ele tem toda razão, a Microsoft superou todos os adversários. Mas espere um pouquinho... tanto a Microsoft quanto seus adversários possuem grupos de programadores... A questão é... poderia a Microsoft, com sua equipe de programadores derrotar o mundo? Sabemos que o Linux é regido por milhares de programadores ao redor do mundo, em alguns anos o Linux fez o que a Microsoft jamais faria em décadas... exagero? Veja o desempenho do Linux em rede! Aquilo sim é exagero! hahaha!!!
----
Alguns realmente estão confundindo, estão achando que o artigo trata da falência da empresa, mas na verdade está falando da dominância, do primeiro lugar, o favoritismo da Microsoft foi derrubado pelos próprios concorrentes, foi derrubado pela internet, foi derrubado pelo software livre e mais que tudo, foi derrubado pela preferência da necessidade. Tudo nessa vida passa, até mesmo o império da Microsoft. A evolução da vida é um fato, sempre surgirão coisas novas, um dia eu era maravilhado pelo Windows, sonhava em conhecer Bill Gates, hoje preciso de algo melhor, preciso de algo que me atenda. Não improrta o SO, podeira até ser Windows CE, mas tem que me atender. E hoje, só conheço um sistema que me atende... Linux. Se sair algo melhor... lá estarei!

E comentando sobre o que o Sidnei disse, a Microsoft realmente ainda vende muito, mas não é nada comparado ao que antes vendia, e o Windows Vista é podre! Não conheço ninguém e nunca ouvi falar de alguém que ficou satisfeito com esta versão de SO. A Microsoft não vai sumir do mercado como num passe de mágica, isto é um processo que leva tempo, muito tempo, afinal, é uma gigante, e gigantes demoram muito tempo para se decomporem.
Não estou defendendo o Linux, inclusive, se o Linux não se cuidar, pode até desaparecer também, a internet está devorando tudo pela frente, a lei é: Ou se adapta a ela, ou por ela será devorado. Google é a boca!
Jayr Magave
19 Abr 2007, 15:11
A Microsoft já mostrou que é boa de briga e não vai deixar barato. Em diversas ocasiões começou a corrida bem atrás e chegou na frente.

1. Dominou o mercado de planilha e processadores de textos que eram da Lotus 1-2-3 e Wordperfect.

2. Dominou o mercado de file servers que era da Novell.

3. Dominou o mercado de navegadores e servidores http (em ambiente windows) que eram da Netscape Inc.

4. Detonou os banco de dados Clipper e DBase com o Access.

5. Abocanhou uma boa fatia dos sistemas de bancos de dados corporativos que era da Oracle.

6. Deixou capengando o Delphi da Borland com o seu Visual Basic.

7. Detonou o Lotus Domino com seu Exchange Server.

... e fica como exercício continuar a lista.

Amigos. A extensão da lista pra mim significa COMPETÊNCIA!! Não necessariamente competência de criar produtos de qualidade, mas competência GERAL em todos os aspectos, o que na média resulta em uma empresa vencedora.

Lembrem-se todo mundo alardeou o fim dos mainframes. Hoje, mais vivos do que antes, rodam VMWARE com Linux, com mais de 100 maquinas virtualizadas. Um espanto. Quem viver, verá!!
eu
19 Abr 2007, 10:49
xvxvx
Rafael
18 Abr 2007, 20:34
Pessoal, deixa eu reforçar alguns pontos (que estão no texto).

- Paul não está dizendo que a Microsoft faliu e sim que ela não tem o poder de conformar o mercado como tinha antes

- Sim, Brasil e Estados Unidos são realidades diferentes. Mas isso não significa dizer que o que acontece lá não afeta cá. A questão é que efeito isso terá para nós, no Brasil, e mais especificamente para o movimento software livre
Litiser
18 Abr 2007, 14:00
Em partes concordo que a Microsoft não é mais o que era antigamente pois empresas como a Apple e Google estão se mostrando cada dia mais fortes, senão "as mais fortes"...A questão é a seguinte a Microsoft não é boba e ela ja viu que não é mais a dona do pedaço...querem um exemplo?! Porque acham que a Microsoft fechou contrato com a Novell, que é a dona do SuSe,?Porque achama que a Microsoft lançou a notícia que vai estudar o Kernel do linux e lançar "patches" para compactibilidade dos dois Kernels e sendo que o o Torvalds falou que se vier isso oficialmente ele aceitaria de mão cheia?Simples a microsoft concerteza vai lançar uma versão "linux" do Windows para que tenha um produto BOM e gratuito para dar aos clientes que preferem o "linux"....Com isso ela vai manter o seu Windows para quem não larga e vai ter uma versão "linux" para quem prefere uma coisa melhor......Acredito que a Microsoft não é a Dona do pedaço mas tão cedo ela vai virar uma empresa qualquer....
Gidalte Neto
18 Abr 2007, 09:20
Está aberta a temporada dos profetas do holocausto. Já vi este filme.

E quem se arisca a dizer que o pacote office 2020 (é dois mil e vinte mesmo), diposnibiliazado sob a web 2.0, para uso mediante o pagamento de uma taxa $$$, não será um sucesso?

Parece até que estou vendo o anúncio: "Faça sua assinatura de banda larga a cabo, na promoção vem junto o direito ao uso de todo o pacote office da microsoft."

Outra coisa o eco da coisa que acontecem nos EUA, não chega até nós a velocidade da luz, principalmente aqui nos países de quinto mundo.
Antonio Francisco Moreira Neto
18 Abr 2007, 09:14
Além dos quatro pregos, pode-se listar um tiro no pé.
Esta semana resolvi testar o Windows Vista. A máquna que usei era um Pentium IV 3 GHz com 512 Mega de RAM DDR2. disco serial ata e placa de vídeo PCI Express com 128 mega.
Para instalar a versão Ultimate, tive que fazer um upgrade de memória. Coloquei mais 1 giga. Na utilização, percebe-se que 1 giga é o mínimo aceitável. Como estou com 1,5 giga - funcionou bem.
O visual é bonito, até parece o KURUMIN ;-)
Agora, a lista de incompatiblidade de software é grande. Deu problema com o Norton 2006 e com o EASY CREATOR 6.
Tentei usar o software nativo de gravação de CD e ele gerou um cd de áudio que só pode ser reproduzido no Media Player ;-(
Meu prazo de teste deve expirar e não vou conseguir resolver alguns destes problemas.
Considerando o preço do produto, os requisitos de hardware e a lista de incompatibildides de softwares, como diz um personagem conhecido, NUNCA ANTES NESTE PAÍS, houve um incentivo tão grande para usar o LINUX.
Doiche
18 Abr 2007, 03:02
Parabéns Rafael, um pouco radical, mas foi uma boa leitura =)


Abraços
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script

 

Desenvolvendo para iPhone e iPad - 2ª Edição