você está aqui: Home  → Colunistas  →  ETIEZA OD ROTNEVNI O ZAJ IUQA

 

Tem papel na impressora? Criando um e-book

Por Franklin Carvalho

Data de Publicação: 13 de Outubro de 2013

Observo, com muita preocupação, a total indiferença das editoras às mudanças que o ePUB está introduzindo no mercado editorial. O dilema entre a centenária forma de se fazer e distribuir livros impressos frente ao modelo "Amazon" mostra uma realidade de sucessivas, e lamentáveis, falências de pequenas editoras e livrarias.

É um panorama muito parecido à transição da fotografia para "o digital". Tente comprar um filme fotográfico hoje, tente achar um laboratório preto-e-branco profissional, tente achar um petista honesto. Sim. eles existem, mas você vai rodar muito... Talvez, se a Sorte te sorrir, você encontrará os dois primeiros,

Ficar paralisado significará a morte das empresas tradicionais de livros. Não basta às editoras converter o catálogo dos impressos para o formato eletrônico. Seria simples se a mudança se resumisse a isso. Distribuir via Internet é o pesadelo que estas terão que enfrentar. E bota pesadelo nisso!

Você ainda não tem um site para vender seus livros eletrônicos? Hello? Is anybody here? Na compra desse belíssimo livro, impresso em Couché 120, em papel Bíblia, você também ganha a autêntica faca Ginsu e, tem mais...

Anote aí a trinquinha básica: Sigil, Calibre e FBReader. Para criar um e-book use o Sigil, um editor completo de e-book's. Para converter arquivos de vários formatos, como doc e docx, odt, rtf, txt, etc, use o Calibre. Para ler um e-book use o FBReader. Tem um tal de Adobe Digital Editions, mas eu não chuto cachorro morto, é falta de educação.

O Calibre é bem mais que um conversor (excelente) de formatos e oferece recursos sofisticados como catalogador de livros eletrônicos e buscador online de títulos, capas e fichas bibliográficas. Estes três softwares são multiplataforma com versões para Linux, Mac, Windows e Android. É claro que existem outras soluções, mas aconselho que evitem os "genéricos" para a produção profissional de livros eletrônicos.

Antes de "botar a mão na massa" vamos entender o formato do ePUB. É um arquivo compactado, zipado, com vários HTML's ou xHTML's dentro, mais os arquivos gráficos da capa e ilustrações, um toc.ncx e um content.opf para os metadados e índice do livro, e, talvez, um arquivo .css para o "estilo" HTML. "unzip -l" resolve o assunto, ePUB é .zip.

O Kindle lidera o mercado de eReader's atualmente e usa um formato proprietário, o .mobi, mas a adoção do ePUB como formato universal por gigantes da indústria como Samsung, Apple e Sony certamente obrigará a Amazon à uma revisão de sua política proprietária, em breve. Os celulares e tablet's são um número bastante expressivo e intimidador para os fabricantes de eReader's. O ePUB é o que vai vingar, acredite.

O Sigil é "O" editor para e-books. Nem pense em discutir porque você vai perder. Vamos falar das Pizzas Infringentes e mudar de assunto. Aquele Barbosa é um falastrão, mas coisa na mesa, que é bão, não é com ele, e vamos em frente. O Supremo acabou, assim como Calígula morreu. Parlando...

O Sigil, em sua interface, exibe três painéis. À esquerda, a estrutura do e-book com as pastas Text, Styles, Images, Fonts, Audio, Video, Misc e os arquivos toc.ncx e content.opf. Note que na pasta Text, como um subitem, aparece destacado em um verde Aurélio, o arquivo Section0001.xhtml. Ao centro, o editor HTML. À direita, o painel do sumário.

Primeira regra do backup: Só Jesus Salva!

Vai logo no Arquivo-> Salvar. Escolha a pasta e digite pizzas-infringentes.epub. Control + S daqui pra frente, daqui pra sempre.

Tá vendo aquele Section0001.xhtml destacado em verde Aurélio? Botão direito-> Renomear. Pronto! Você já está na direção.

Tá vendo aquele Section0001.xhtml renomeado com o botão direito? Dá outro botão direito e "Add a Blank HTML File". É quase isso aí, mas faltam dois passos importantes.

Escreva aquelas maravilhosas receitas de pizzas aprendidas com sua avó em cada um dos arquivos .xhtml que você inseriu ou renomeou.

Para toda e qualquer página, destaque o título com o mouse ou a mãosepad, e clique no primeiro ícone "h1". Isso vai gerar o índice. Qualquer título em "h1" vai virar um entrada no índice. Aliás, sumário e índice são coisas confusas no Sigil. Mas, "Não interrompa e Nem perturbe", primeira regra do éPobre.

Pense em capítulos, funciona assim. Primeiro Capítulo, Segundo Capítulo, Terceiro Capítulo, ovelhas saltintantes, vai no "verde", vai de Aurélio. Poucos sabem que o Aurélio é o "Verde" e .eu mesmo. nem sei a história do "Verde", embora amigo do astronauta.

Botão direito, Add Blank HTML File, ou Rename, Acabou, você já está escrevendo o seu livro eletrônico. Assim, sem imagens. No hands!

Qualquer imagem, Insert -> Image e vai direto para o editor e a pasta Images.

Falta acabar o livro e duas coisas são necessárias. Preencher a ficha de metadados e gerar o índice. Tools-> primeira opção -> Título -> Autor -> File As ->. Acho que com o título você não encontrará dificuldade, mas uma dica boa é Autor: Rubens Queiroz, File As. bem na frente, Queiroz, Rubens.

Preencheu os metadados? Falta o "índice". Você destacou todos os títulos com "h1"? Vai no Tools -> segunda opção -> Gerar Sumário. Sumário virou Índice. Não pergunte. Acabou.

Lembra do Control + S, "Só Jesus Salva!"? Vai lá, rapaz, acabou. O livro eletrônico está finalizado.

Envie um email para você mesmo com o ePUB atachado e escolha abrir no iBooks no celular, no meu triste caso, um usuário de iPhone. Todos tem um defeito grave, mas isso é assunto para a terapia digital.

Acabou? Não, não acabou. Quédi a capa do livro? Vamos ao Calibre, no Sigil você já está no comando.

Clique nos ícones do Calibre. Tá vendo, lá em cima, aqueles ícones grandões? Adicionar livros -> Escolha o arquivo ePUB. A seguir, "Converter livros", uma nova aba exibe ao lado esquerdo "Formato de entrada" e ao direito o "Formato de saída". Do que para que? ePUB, mobi, azw3, fb2, htmlz, lit, lrf, pdb, pdf e pmlz.

Do lado do "Adicionar livros", o " Editar metadados". É aí que você entra com a capa do livro.

Voltando ao "Converter livros", no Calibre, vamos converter de ePUB para ePUB. Precisamos adicionar a capa do livro. Caput!

Sobre o autor

Sou Linux desde criancinha. Foi meu amigo Rodney, creio em 1998, que me botou no barco quando me deu um curso de um minuto e meio de VIM mostrando como entrar, editar, salvar e sair. Em seguida me apresentou o MAN dizendo: Te vira, tá tudo aí, dá um Q para sair e um mc para passear. Então virou as costas e foi embora. Anos depois meu grande amigo, o abominável Júlio das Neves, o Papai do Shell, me deu de presente um curso profissional de Shell Script em uma caverna do Afeganistão. Nesse meio tempo li o livro **Unix Text Processing**, igualmente marcante. Agradeço aos amigos Rodney, Júlio, Rodrigo, CelinhoPlace, Aurélio2txt, Henrique, Red Alexandre, Queiroz e família, os Brod, Lucas da Óxenti, Sulamita, Roxo, K_Helinho, Renato, Edson Perl, os 4Linux e também os Solis, o grande Mr. Lutkus, Orlando Nipo, e tantos outros que conheci através da finada Revista do Linux, empreita que tenho orgulho de ter participado. A lista é longa demais mas preciso dar um << EOF. Trabalho com jornalismo de informática, direta e indiretamente, há anos. Fiz alguns prefácios de livros de amigos nos últimos anos os quais referencio como sendo o núcleo de uma organização clandestina a quem pessoalmente chamo de a "turma do MAN Salão". Punto, já falei demais. O resto, nem sob tortura.

Recomende este artigo nas redes sociais

 

 

Veja a relação completa dos artigos desta coluna