você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

O comando if testa instrução

Colaboração: Júlio Cezar Neves

Data de Publicação: 25 de janeiro de 2018

Obviamente o comando if não se enquadra na categoria de "coisas raras de se ver em Shell" mas é bem diferente do resto, porque aqui o comando if não testa condição, por incrível que pareça, testa instrução. Experimente fazer:

VouProcurar=root
if grep -q $VouProcurar /etc/passwd
then
    echo $VouProcurar pode se logar
else
    echo $VouProcurar não pode se logar
fi

Agora experimente atribuir a VouProcurar um valor que não esteja definido em /etc/passwd e execute este pedaço de código novamente.

if testando o test

Já que estamos falando em if, você deve estar se pensando: "mas eu sou um viciado dependente de testar condições. Como fazer isso?"

E eu te garanto: existe um comando chamado test que só testa condições e para testá-las você usa o if testando o test. Veja:

if ! test -d dir
then
    mkdir dir
fi; cd dir

A exclamação nega a pergunta, então eu testo se não existe um diretório (-d) dir, quando então vou criá-lo. O importante é que ao final dessas linhas você estará no diretório dir, existisse ele ou não.

Substituições com "if test

Esse negócio de if test ... é muito estranho e por isso o comando test também pode ser substituido por um ou dois par(es) de colchetes ([...] ou [[...]]). No mesmo exemplo...

if [ ! -d dir ]
then
    mkdir dir
fi; cd dir

Agora vou te contar a mágica: toda instrução manda um código de retorno, que está na variável $?, e esse código será zero se o comando for bem sucedido, caso não seja, esse código será diferente de zero e os malucos que fizeram o interpretador resolveram criar um conector && e outro ||, de tal forma que se fizermos CMD1 && CMD2, o comando CMD2 só será executado se CMD1 for bem sucedido, se fosse CMD1 || CMD2, o segundo só será executado caso o primeiro tenha falhado. Você já deve ter notado que o && equivale ao then e o || ao else. Então esse test que acabamos de ver, nem precisa do if e pode ficar de tamanho mínimo se for (bem) escrito assim:

[ -d dir ] || mkdir dir; cd dir

Ou:

[[ -d dir ]] || mkdir dir; cd dir

Ainda o comando test

Você sabe pegar um dado vindo pelo pipe ou redirecionado para seu script? Não? Isso é porque você não conhece bem o comando test. Com a opção -t FD ele testa se o descritor FD está aberto no seu terminal. Ora, como sabemos que a entrada primária tem o descritor zero, podemos fazer:

[[ -t 0 ]] || echo Tem entrada primária

Mas isso não vai te resolver, você precisa saber quais são os parâmetros passados, então faça:

[[ -t 0 ]] || echo Recebi $(cat -)

Vamos aproveitar essa linha: crie um arquivo chamado vemdopipe.sh com os seguintes dados:

$ cat vemdopipe.sh
[[ -t 0 ]] || echo "Recebi pela entrada primária (pipe ou redirecionamento) $(cat -)"
[[ -n "$@" ]] && echo Recebi os seguintes parâmetros: $@

em seguida vamos torná-lo executável, faça:

$ chmod +x vemdopipe.sh    # Ou chmod 755 vemdopipe.sh 

E para testá-lo faça:

$ echo F{a,o,in,us}ca | vemdopipe.sh 
$ vemdopipe.sh F{a,o,in,us}ca 
$ vemdopipe.sh < /etc/passwd 

Viu!? O bacalho agora está apto a receber o dado venha lá de onde ele vier!



Veja a relação completa dos artigos de Júlio Cezar Neves