A confecção do site

Por Rubens Queiroz de Almeida

Data de Publicação: 16 de Abril de 2007

Já que só a lista não era suficiente, tive que partir para fazer um site, com todo o material e de quebra aprender um pouco de html.

Em 1997, fazer um site era uma coisa muito trabalhosa e eu vi logo de cara que não iria conseguir manter o portal se tivesse que criar uma página html diariamente. Pensei então em uma maneira que me permitisse manter o conteúdo com facilidade e que me deixasse livre para pensar apenas em escrever. Eu queria pensar muito pouco em questões como formatação de páginas e html.

Idealizei então um shell script que, a partir de algumas marcações muito simples, fizesse a formatação das páginas para mim. Todas as dicas teriam apenas esta marcação. Eu me lembro de que originalmente eu pensei em apenas três marcações: uma para título (<H1>), outra para texto pré-formatado (<pre>) e uma terceira para parágrafos normais. Se caisse fora disto eu não usava :-)

É claro que com o tempo eu fui me sofisticando, incluindo código para transformação automática de endereços de URL em endereços clicáveis na página, e outras pequenas melhorias. Este código eu não desenvolvi, achei na Web e adaptei aos scripts da Dicas-L.

Um dos princípios básicos que adotei era o de que sempre é melhor fazer alguma coisa do que não fazer nada. As minhas competências como webdesigner quando resolvi lançar o portal eram próximas de zero, mas eu sabia que iria aprender com o tempo. Com relação às dicas muitas vezes fui criticado por não escrever a melhor solução, mas também nunca me importei com isto, pois a melhor solução não existe. Sempre existem várias soluções para o mesmo problema. Eu entendo que a melhor solução é aquela que você é capaz de implementar em determinado momento de sua vida. Na Internet existem as bestas fera sempre criticando isto ou aquilo de forma negativa, mas que são incapazes de apresentar a tal melhor solução.

Além do mais, a comunidade que se formou ao redor da Dicas-L sempre apontou os meus erros e não existe nada mais fácil do que corrigir uma página Web. Eu ainda acho que é melhor dar uma dica que possa não ser 100% do que não fazer nada.

Mas um belo dia, tudo mudou. O Aurélio Marinho Jargas anunciou o lançamento da ferramenta txt2tags. Era tudo o que que eu queria e muito, mas muito mais. Acho que até hoje eu não uso tudo que o txt2tags oferece. A filosofia da ferramenta era a mesma que eu sempre defendi, simplicidade acima de tudo.

Quando foi anunciado o pacote txt2tags eu escrevi para o Aurélio o email que reproduzo a seguir:

  De: Rubens Queiroz de Almeida <queiroz@ccuec.unicamp.br>
  Data: 8 de agosto de 2001 12h53min58s GMT-03:00
  Para: # aurelio marinho jargas <verde@conectiva.com.br>
  Cc: queiroz@unicamp.br
  Assunto: txt2tags
  
  Aurélio,
  
  Genial o txt2tags. Simples e fácil de usar.
  Na Dicas-L eu uso algo parecido, só que muito
  mais rudimentar e só converte para HTML.  O seu
  pacote é infinitamente melhor e vou migrar a
  Dicas-L para ele.
  
  Legal!!!
  
  Queiroz
  
  --
  Rubens Queiroz de Almeida   queiroz@unicamp.br
  UNICAMP                     FONE:0 xx 19 3788 2235
  CENTRO DE COMPUTACAO        FAX: 0 xx 19 3289 2577
  Divisao de Servicos a Comunidade

Foi o próprio Aurélio que me enviou esta mensagem, que eu já havia perdido. Foi uma surpresa muito agradável. Na verdade o software txt2tags foi o que eu precisava para me lançar inteiramente no mundo da web e eu criei em seguida os sites Contando Histórias, Aprendendo Inglês e o meu site de piadas, Só Bobagem (hehehe). Cada site destes, excluindo o site de piadas, possuem uma história ligada à Dicas-L, que eu vou contar nos próximos artigos.

A imagem acima representa o visual da dicas-L em abril de 1998. Como muita coisa que eu perdi ao longo do tempo, eu não guardei as páginas HTML que eu usei no início da Dicas-L. Felizmente, temos o museu da Internet, o site Archive.org, que com suas 85 bilhões de páginas guardadas, me deu a felicidade de reencontrar com os meus primeiros esforços desajeitados de criar uma página web.

Você pode ver também a história da Dicas-L visitando o site Archive.org.

Obrigado e até a próxima :-)

Referências

Recomende este artigo nas redes sociais

 

 

Veja a relação completa dos artigos desta coluna